sexta-feira, 19 de julho de 2019

Leia opiniões de artistas e musicistas sobre o EP "Ciberpajé - Meu teto Infinito", parceria com a banda inglesa Xa-Mul



Confiram  abaixo os comentários de artistas e musicistas sobrte o EP "Ciberpajé - Meu Teto Infinito", e ouçam o EP nesse link

Só nos resta o presente. É o que temos e, por isso, nunca somos, sempre estamos. Esquecer de sorver as raízes e os ares infinitos é a maldição de nossa era. Caídos em desgraça pela criação do conforto e da tecnologia, já esquecemos do presente, optando pela angústia infernal da prisão do devir. Preferimos a ansiedade de tetos artificiais e ilusões digitais. Apenas para fazer uma "cauinagem abstrata" desses aforismos. (Gabriel Pinheiro - Educador e Criador)

Gostei bastante do EP! Transcendental, instigante e altamente imersivo pra mim. Ouvi no escuro e transportou-me imaginativamente a outros mundos e dimensões sonoras. Me trouxe imagens mentais contrastantes...ora desérticas e apocalípticas. Ora uma espécie de paz de espírito meditativa e reflexiva em outro tempo e espaço astral de paz. Curti deveras! Parabéns! (Frederico Carvalho Felipe - Artista Multimídia e Doutorando em Arte e Cultura Visual da FAV/UFG)

Ouvi e adorei! Tem uma ambientação foda! Viajei! Parabéns pelo trabalho! (Henrique Wotan Becker - Game designer e Musicista)


Melodias e aforismos em perfeita sintonia, nos fazem levitar e refletir ao mesmo tempo, traz questões importantes, que não podemos deixar passar, que nos afetam diretamente. Um convite ao despertar de sentidos e consciências. (Adaor Veg - Filósofo e Educador)

Mais uma pérola do Ciberpajé.(Leander Moura - Quadrinhista)

Belos drones, dialogam maravilhosamente com as suas palavras. (Eufrasio Prates - Musicista e pós-doutor em Semiótica)

Magnífico! (Alan Flexa - Musicista e Produtor musical)

Como sempre fazendo vibrar o imaginário. Sucesso!!! (Carla Fernandes - Arquiteta)

Aforismo I : Imaginei-me deitada sobre uma floresta e gradativamente levitando em direção ao céu, a medida que eu ia subindo mais distante me encontrava da natureza e, consequentemente, mais distante de mim mesma eu encontrava. Aforismo II: Senti-me em meio de uma tempestade com um sentimento de não pertencimento. Aforismo III: Não sei definir muito bem o que senti, mas foi um grande incômodo. (Sara Gaspar - Artista, zineira e graduanda em biologia da UFRJ)

Conhecendo sua obra escolhi um momento de recolhimento, intimidade e conexão para experimentar. Me conectei a estruturas psíquicas que me levam a sentir meu corpo como um híbrido, uma extensão das forças da natureza. A lua, em especial. Gracias. (Lillian Bento - Artista, Pesquisadora doutora e Professora da UFRB)

Parceira que não via desde o CD Technological Singularity's Vampires, do Posthuman Tantra & Xa-Mul. Este Ep começa um pouco minimalista e com o aforismo mais intimista e vai crescendo para um ambiente carregado, sempre profundo e em consonância com os aforismos. Ótimo trabalho Ciberpajé e Xa-Mul! (Ordem de Tenebra - Musicista)


terça-feira, 9 de julho de 2019

[Resenha] Ciberpajé - Meu Teto Infinito: se a humanidade despertar a tempo e reanimalizar-se, talvez seja possível a coexistência com Gaia, por IV Sacerdotisa Danielle Barros


Meu Teto Infinito é um dos EPS mais lindos feitos pelo Projeto Ciberpajé e parcerias! Diante de EPs anteriores (alguns com uma ambientação mais sombria) fui com "pré" conceito ao ouvir este. Coloquei o fone de ouvido, quando dei o play na primeira música, me senti flutuar...até deitei na cama e fechei os olhos. Aforismo I é uma canção MARAVILHOSA! Sem falar na letra do aforismo, linda! Aforismo II gostei também, ela já sai da placidez e começa a agitar nosso íntimo, a letra mais densa, traz uma verdade incômoda, fala de morte à espécie humana, destruidora de Gaia.

Atentei-me mais ao sentido dos aforismos na segunda audição, pois na primeira não prestei muita atenção a eles, achei as músicas bem melodiosas e fiquei curtindo o todo. Aforismo III pensei que fosse toda instrumental, e imaginei que o Ciberpajé não fosse recitar. Ele deixou o aforismo para o último momento - e sei que não foi por acaso,- parece um bote final, pois a mensagem é o " bote final" que pega os despreparados no último instante.


Clique na capa do EP para ouví-lo na íntegra

E a Capa? LINDAAAAAA! A espada fálica diante da mulher, ao centro, como um protetor. Os guardiões nas laterais, estão com os olhos fechados, mas enxergando pelo terceiro olho. Um ovo cósmico circula tudo. A espada mítica sobre o planeta Terra, em sua defesa. A arte com as cores da transcendência. Tantas simbologias a desvendar! Capa maravilhosa, como sempre!

Refletindo o teor das letras, talvez o Aforismo III seja uma alternativa ao Aforismo II, ou seja, se a humanidade despertar a tempo, reanimalizar-se, se exterminar a cultura vigente, talvez seja possível a coexistência com Gaia. Meu Teto Infinito é uma obra para curtir, viajar, refletir, meditar. Uma verdadeira trilha/ambientação de ficção científica! OS EPs do Projeto Ciberpajé estão cada vez melhores. As produçõies seguem investindo na qualidade sonora, no conceito, e inovando nas entonações, adorei! Parabéns ao Ciberpajé e à banda inglesa Xa-Mul pelo lançamento. Um dos melhores! Grata por nos presentear com sua arte.

*IV Sacerdotisa Danielle Barros - é artista multimídia, doutora em arte/ciência e educação pela Fiocruz/RJ e professora da UFSB, em Teixeira de Freitas (BA).




segunda-feira, 8 de julho de 2019

Ciberpajé grava participação do Posthuman Tantra no tributo ao Luxúria de Lillith

No dia 7 de julho de 2019, o Ciberpajé participou de sessões de gravação no Sonoro Studio, em Goiânia, para registrar a participação do Posthuman Tantra no tributo à lendária horda black metal Luxúria de Lillith. A música escolhida para a participação no tributo foi "Alimento Sangrento" que ganhou novos arranjos com inclusão de muitos elementos incluindo o berimbau de boca tocado pelo Ciberpajé, além da inclusão de um aforismo criado exclusivamente para a faixa. O Ciberpajé ficou responsável pelas vozes principais na faixa e contou com a participação do mentor do Luxúria de Lillith na gravação dos refrões, guitarras, baixos e baterias. A faixa tem a produção mixagem e masterização a cargo de Lucas do Estúdio Sonoro. Vejam algumas fotos das gravações.




O Produtor Lucas (Sonoro Studio), o Ciberpajé (Posthuman Tantra) e Alysson Drakkar (Luxúria de Lillith), ao final das gravações

sábado, 6 de julho de 2019

[O Ciberpajé Recomenda] O Padrão dos Dedos, livro de contos de Fausto Ramos


O Padrão dos Dedos: Caos, Cotidiano, Magia e Surrealismo


Fausto Ramos é um artista multimídia que tem se notabilizado pelo trabalho fantástico em seu canal CaoSofia, dedicado a estudar magia e suas conexões com a filosofia, a arte e a psicologia. Fausto também é dançarino, ilustrador, quadrinhista, poeta, ensaísta e, pasmem, matemático! Um ser pós-renascentista que navega pelo fluxo hipertecnológico e hiperinformacional mergulhado em referenciais sólidos do passado e da atualidade.

Agora ele nos mostra mais uma de suas facetas, a de contista, lançando seu primeiro livro, "O Padrão dos Dedos", que foi contemplado pelo Funcultura do estado do Espírito Santo. A obra já mostra a que veio pela arte de capa instigante de João Miranda, e começa nos impactando já no primeiro conto "Peso", uma narrativa que nos fisga e revela todo o aspecto onírico, mágico e surreal que permeia a obra.

Os contos são curtos e envolventes. A prosa de Fausto flui sem rococós ou recursos rocambolescos, é direta e forte, mas sabe reservar sutilezas sensíveis em muitos momentos, principalmente no desfecho das tramas, como no sensacional "Sobre Arcos e Tangentes" - um conto aparentemente autobiográfico que nos incita a refletir sobre o tempo, e o sentido da existência. O fator cotidiano é a base das histórias e torna-nos próximos delas, e a aparente trivialidade da existência sofre reviravoltas ora mágicas, ora fatídicas, não permitindo ao leitor prever o que virá, vide os dois contos em sequência "Homem Paradoxal" e "Óculos". " O Padrão dos Dedos" é uma estreia vibrante e emocionante, o Ciberpajé recomenda!

Serviço:
"O Padrão dos Dedos"
Contos de Fausto Ramos
Editora Artes e Letras - Vitória ES
110 pgs - 2019
Para adquirir: Loja CaoSofia

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Resenhista de novo CD do TUATHA DE DANANN no site Rock On Stage destaca arte do Ciberpajé

O notório site Rock on Stage publicou uma extensa e elogiosa resenha do novo EP da banda Tuatha de Danann - The Tribes Of Witching Souls. Na resenha a ilustração criada pelo Ciberpajé (Edgar Franco) e incluída no encarte mereceu destaque:

"[...] chama atenção também o desenho feito por Edgar Franco, que mostra a mãe Gaia sendo atacada por um ser de cartola tal qual um Tio Sam norte americano, que só pensa em dinheiro e destruir a natureza. Seria semelhança com um certo presidente que é um dos mais importantes governantes do planeta? Mas é claro que sim." (Fernando R.R.Júnior)
A arte - reproduzida nesse post - foi criada pelo Ciberpajé como capa do single virtual "Your Wall Shall Fall", faixa contestadora e iconoclasta do Tuatha de Danann com participação especial do lendário Martin Walkyier (ex- Skyclad) responsável pela letra e pelos vocais na música. O single foi lançado em dezembro de 2018 e a arte foi incluída no encarte do novo EP The Tribes Of Witching Souls. Leia a resenha na íntegra nesse link.

Arte criada pelo Ciberpajé como capa do single   virtual "Your Wall Shall Fall", do Tuatha de Danann



Single virtual no Spotify

Palavras do Ciberpajé: "Pensa na emoção de receber o CD autografado de uma das bandas que você mais admira e ver no encarte a sua ilustração! Uma honra e alegria fazer parte da história do grande TUATHA DE DANANN criando essa arte! Gratidão, meus amigos!" 

Ciberpajé participou de banca de mestrado na UnB com o tema "Cartografia Poeticoativista"

No dia 28 de junho de 2019, o Ciberpajé (Edgar Franco) integrou a banca de defesa de dissertação de mestrado em artes, da discente Marina Mara da Silveira Chaves. A defesa aconteceu no Programa de Pós-graduação em Artes da Universidade de Brasília (UnB) e o título da dissertação é "Cartografia Poeticoativista". A pesquisa apresenta a instigante trajetória da poeta marginal e ativista Marina Mara, desde seu despertar para o ato poético até o momento da defesa de mestrado, tendo como desdobramento final o aplicativo para smartphone "Poemapp", que mapeia a produção e as ações poéticas em todo o país e foi desenvolvido em parceria com o Media Lab UnB. O Ciberpajé agradece a oportunidade de participar do momento de celebração que foi essa banca e parabeniza Marina Mara e sua orientadora Suzete Venturelli pela significativa pesquisa.

Vejam algumas fotos da defesa.


 Pose acadêmica da banca: a orientadora Profa. Dra. Suzette Venturelli (UnB), a nova mestra Marina Mara, o Ciberpajé (UFG) e a Profa. Dra. Daniela Garrossini (UnB)


A banca: a orientadora Profa. Dra. Suzette Venturelli (UnB), a nova mestra Marina Mara, o Ciberpajé (UFG) e a Profa. Dra. Daniela Garrossini (UnB)

A banca e todos os presente à defesa



quinta-feira, 4 de julho de 2019

Curtas em animação stop motion com roteiro do Ciberpajé e direção de Luciano Irrthum selecionados para o V CineCaos 2019


O curta de animação stop motion "Killed by my low tech bot golem slave" (assista-o aqui), também um videoclipe da banda Posthuman Tantra, com direção e criação de Luciano Irrthum, e conceito e roteiro do Ciberpajé (Edgar Franco), foi um dos filmes selecionados pela curadoria do "V CineCaos". O festival acontecerá em Cuiabá, no Mato Grosso, em agosto. O curta apresenta um roteiro que ironiza e explicita o tema da revolta das máquinas pós-humanas contra a escravização dos humanos. Toda a criação e manipulação dos bonecos foi desenvolvida por Luciano Irrthum, para o roteiro e a música criados pelo Ciberpajé.

Frame do curta  "Killed by my low tech bot golem slave"

 Frame do curta  "Killed by my low tech bot golem slave"


                                      Frame do curta "Killed by my low tech bot golem slave"


Além de "Killed by my low tech bot golem slave", outro curta com criação e direção de Luciano Irrthum foi selecionado para a mostra, o curta de animação stop motion "Bicho Papão", que foi baseado em uma história em quadrinhos desenhada pelo Ciberpajé na década de 90 e publicada no fanzine Arghhhh, editado pelo lendário Petter Baiestorf.


 Frame  do curta "Bicho Papão"

Frame do curta "Bicho Papão"

Página do Facebook do Cinecaos com a lista dos filmes selecionados

O CineCaos é uma mostra de cinema, audiovisual e música que se propõe a exibir filmes fora do circuito comercial e trazer bandas locais do segmento underground. A mostra é focada na produção nacional a partir de experimentações e filmes sobre temáticas inusitadas. A mostra traz para o público as manifestações do audiovisual que não encontram espaço na sala de cinema tradicional e da mesma maneira busca bandas locais que também não estão necessariamente inseridas em grandes circuitos comerciais.

Cataclismas, Hecatombes e Delírios de Poder’ é o tema da Mostra 2019; Curadoria promete manifesto contra política nacional de cortes através de filmes atuais, com temáticas inusitadas e politicamente relevantes. A mostra acontece na UFMT nos dias 10, 17, 24 e 31 de agosto de 2019. E também haverá oficinas, entre os dias 5 e 9 de agosto na UFMT, ofertadas por profissionais de todas as áreas cinematográficas. A ideia é que os participantes, durante este processo de aprendizagem, produzam um filme do gênero a custo zero. Eliete Borges, que compõe a curadoria ao lado de Petter Baiestorf e Ivandro Godoy, explica que a intenção foi selecionar aqueles “que fazem afronta ao poder vigente, a esses ‘delírios do poder’ anunciados na temática”. O termo citado faz referência ao livro homônimo da filósofa Márcia Tiburi, com quem Eliete afirma ter proximidade de pensamento.