terça-feira, 11 de junho de 2024

[Lançamento - assista agora!] "Sexual intercourse with my multifunctional mutant clone": novo videoclipe do POSTHUMAN WORM tem criação e direção do lendário AMANTE DA HERESIA

Está no ar o vídeo oficial "Sexual intercourse with my multifunctional mutant clone" da faixa de mesmo nome do álbum musical "CybOrgasmOrgy" do POSTHUMAN WORM. A obra foi criada e dirigida pelo lendário artista transmídia AMANTE DA HERESIA (aka Léo Pimentel), doutor em artes pela UFG e criar iconoclasta de universos ficcionais e obras transmidiáticas que já realizou múltiplas parcerias com o Ciberpajé (aka Edgar Franco). Depois de 19 anos o POSTHUMAN WORM retorna com um novo álbum tão impactante e singular como o seu primeiro, trazendo "contos sonoros" de ficção científica ambientados no universo ficcional da Aurora Pós-Humana e tratando da sexualidade e das perversões de criaturas pós-humanas na busca da transcendência. Confira o vídeo oficial neste link, ou abaixo:

A faixa musical que inspirou a criação do vídeo foi "Sexual intercourse with my multifunctional mutant clone" do álbum "CybOrgasmOrgy" do POSTHUMAN WORM, um lançamento da gravadora "Terceiro Mundo Chaos Discos", de Curitiba, Brasil. Ouça-o na íntegra neste link, e adquira o CD do álbum neste link.


O vídeo criado por Amante da Heresia inclui múltiplos subtextos e incríveis mensagens subliminares que redimensionam os conceitos do POSTHUMAN WORM, confira algumas palavras de seu criador sobre o processo de desenvolvimento da obra:

Não é o primeiro, muito menos será o último, videoclipe que o grande Ciberpajé me convida para Zinematizar! E a alegria é sempre gigantesca em receber tão maravilhoso convite. Aceitar, então, é um gozo completo. Em êxtase, a primeira ideia que logo vem, é fazer algo que eu não tenha feito ainda. Mas sem deixar de imprimir meus rastros e. também, sem a paranoia do ineditismo. Isso não garante a completude da visualidade que vai surgir. No entanto, uma certa grafiação pode ser esperada, como por exemplo, colagens marotas, gamestética retrô, filmagens sorrateiras, textos provocativos, e muita sutileza escondida ao longo do videoclipe.

Com o sentimento de prazer ainda reverberando, fui escutar, em repetição sem fim, a música que se transduzirá pelas vias dos meus gestos Zinematográficos. Pois bem, o presente caso que passou por tudo isso, foi a música “Sexual intercourse with my multifunctional mutant clone” do phoderástico, projeto ciberpajeano PostHuman Worm! Amigues! O som… que paulêra na molêra pós-humana! Não só isso! É a musicalidade de uma transa para quem não tem barreiras imaginativas-sexuais nenhuma! Tragam isso para a mente e para o corpo! Vai! Isso! Não se acanhem!

A primeira concepção desde aí, veio sobre... multifuncional! O quê e como seria isso? Múltiplas funções! Seriam elas orgânicas, pegajosas e gosmentas? Próteses mecânicas de texturas variadas? Eletrônicas vibrantes e com micro-choques? Tudo isso viria acoplado em... um clone mutante! Biogenética de hibridismo animal, vegetal, especulativa ou as três? Nanorobótica generativa sincronizada com nossas fantasias mais inconfessas? Hum… que delícia! Agora vamos para os finalmentes.

Toda a visualidade que eu ai criaria tinha que ser transversal, quimérica e simbólica. Eu queria usar I.As. gratuitas. Mas de um jeito artesanal e desviante. Pois elas não aceitam erotismo algum. Nos impedem de qualquer voyerismo radical. Assim sendo, eu deveria pensar em prompts que não fossem literais, mas sim que aludissem a órgãos sexuais mutantes. Então comecei a escrever “obeliscos mutantes cheios de olhos e bocas”, “totens” do mesmo modo, “monstros circulares”, “mutantes-bocas” “úmidos”, “gosmentos” com “línguas”, “tentáculos”, etc. Tudo isso para simbolizar pau, cu e boceta, além das bocas e línguas explícitas.

Gerados os fragmentos transviados, comecei a pensar em qual videogame que me serviria como tecitura para todos esses recortes. Veio-me à lembrança o X-Man, jogo adulto para o Atari 2800, de 1983. Mas eu não queria nada tão obvio. Foi então que me lembrei do jogo da cobrinha. Em especial que havia um buraco pelo qual a cobrinha queria entrar. Bingo! Entrou! Foi ela a escolhida como elo viscoso dos fragmentos erógenos mutantes da I.A.

Para dar uns retoques mais retrô ainda, fui atrás daqueles antigos vídeos pedagógicos que os EUA faziam para educar sua juventude. Aqueles em preto e branco narrados por médicos. Encontrei um perfeito para me servir como ironia ao que eu queria provocar. Um no qual haviam letreiros contra a masturbação! Yeah! Entrou também! Além desses letreiros, houve duas outras entradas sorrateiras: um trecho de “O enigma do outro mundo” (1985); e por fim… a cereja do bolo proto-eroguro! Entra em cena, o dotô h[ERÊ]sI.A. Mas para saber como termina, assistam ao videoclipe e divirtam-se!

léo (130) pimentel (pigmento + pixel) souto (soul to)

[A]m[A]nt[E] da h[E]r[E]si[A] & m[A]²|TrM|[I]

cerrado, outono, 2024



sexta-feira, 7 de junho de 2024

[Lançamento - assista agora!] ETERNORGASMO: novo animaforismo trata de nanorobôs indutores de orgasmo para a busca da transcendência

"EternOrgasmo" é um animaforismo e vídeo oficial do projeto musical POSTHUMAN WORM, capitaneado por Cyberlord (aka Ciberpajé). A animação é um conto-aforismo-sonoro que fala de um futuro hipertecnológico na "Aurora Pós-Humana" no qual nanorobôs indutores de orgasmo tornam-se baratos e acessíveis e milhões de seres vão usufruir de suas habilidades entrando em um estado de transe orgástico por horas ininterruptas e chegando à transcendência do ego e à reconexão com a natureza e o Cosmos. Assista-o neste link, ou abaixo:



A faixa musical que engedrou a obra foi "Nanobot Orgasm Inductors" do álbum "CybOrgasmOrgy" do POSTHUMAN WORM, um lançamento da gravadora "Terceiro Mundo Chaos Discos", de Curitiba, Brasil. Ouça-o na íntegra neste link, e adquira o CD do álbum neste link.


EternOrgasmo foi concebido dirigido e editado pelo Ciberpajé (aka Edgar Franco) em parceria com C.N.S. (aka Diogo Soares) que alimentaram uma rede neural com mais de 300 artes originais e algumas fotos do Ciberpajé, realizando assim um banco de dados exclusivo para a geração das animações.

Sobre o conceito que engendra EternOrgasmo e o álbum "CybOrgasmOrgy" do POSTHUMAN WORM, o Ciberpajé destaca:

Os aspectos visuais e sonoros do Posthuman Worm estão inseridos no contexto de meu universo ficcional da “Aurora Pós-humana”, nele a evolução hipertecnológica e da consciência possibilitará gradativamente a migração psicossexual dos desejos da atual era Freudiana - estruturada sobre traumas, tabus sexuais, e desejos reprimidos -, avançar para uma era Junguiana – na qual as criaturas terão acesso irrestrito ao inconsciente das espécies -, e finalmente mergulhar em uma era Grofiana (Stanislav Grof), caracterizada pela penetração no inconsciente universal. Mas nos estágios iniciais de aceleração tecnológica a sexualidade em transformação produzirá novas perversões e múltiplas insanidades como robô-copulações doentias, a criação de andróides escravos sexuais e a degeneração de alguns humanos que vibram só nas baixas frequências. Mas ao longo das décadas seguintes a liberação sexual pós-humana terá resultados positivos, pois libertará a humanidade do estigma Freudiano. No contexto da “Aurora Pós-humana” a sexualidade das criaturas é a mais variada e iconoclasta. Imagine que existem os mais diversos humanimais, como híbridos de mulher e golfinho, homem e cavalo, e todos podem ser hermafroditas e transgêneros, possuindo múltiplos órgãos sexuais masculinos e femininos. Você pode colocar um pênis de asno em sua testa e sua parceira ou parceiro uma vagina de baleia entre os olhos. A biogenética está tão avançada que consegue produzir essas aberrações e irrigá-las, além de gerar novas conexões neuronais múltiplas, ampliando a região cerebral responsável pelo orgasmo. Os tabus e taras sexuais podem ser quebrados e vividos livremente. No contexto de minha ficção científica essa total liberação sexual – conseguida pela produção de biobots transgênicos - propõe que as amarras sexuais nunca foram um problema real, toda a moral era simplesmente um bloqueio ancestral baseado em dogmas arcaicos. Com a liberação e realização completa dos desejos sexuais reprimidos as criaturas podem finalmente concentrar seu pensamento e desejo em uma verdadeira evolução da consciência na busca da transcendência. Nesse álbum, em alguns momentos, assumo a identidade de um desses pós-humanos, Cyberlord, exorcizando taras sexuais e libertando-se para o caminho da consciência cósmica.




[Lançamento - Ouça Agora!] POSTHUMAN WORM lança o novo álbum em CD "CybOrgasmOrgy" pela gravadora "Terceiro Mundo Chaos Discos": 26 odes sonoras de Ficção Científica sobre hiperorgasmos pós-humanos!

Arte de capa do CD "CybOrgasmOrgy" do POSTHUMAN WORM, por Ciberpajé

O projeto musical POSTHUMAN WORM, capitaneado por Cyberlord - codinome do Ciberpajé para esse projeto em especial, acaba de lançar o seu novo álbum "CybOrgasmOrgy" - ouça-o aqui -  em formato CDr-pro pela lendária gravadora underground "Terceiro Mundo Chaos Discos", de Curitiba, Paraná.

O POSTHUMAN WORM é um desdobramento estético do POSTHUMAN TANTRA, concentrando-se em um estilo sonoro que pode ser chamado de cybergrind, ele se dedica conceitualmente a tratar de intercursos sexuais em um futuro pós-humano, apresentando faixas que traduzem a atmosfera de cópulas entre seres híbridos de humano, animal e vegetal, hermafroditas, transgêneros tecnogenéticos, ciborgues, robôs. São narrativas sonoras de ficção científica ambientadas no universo ficcional transmídia da "Aurora Pós-Humana" que tratam de um paroxismo orgástico que pode levar à superação do ego a partir da superação de traumas freudianos.

Depois de um hiato de 19 anos, após os lançamentos do primeiro álbum "Sex Bot Mantra" em CD pela gravadora da "Turquia SUKK Productions", e do split CD "Fountain of Worms" com a banda "Amniotic Fluid Fountain" pela gravadora "Friss Scheisse Records" da Alemanha. Também após ter participado da compilação pioneira no mundo "Electro Grind Gore", lançada no México pela gravadora "Alarma Records" em 2005; o POSTHUMAN WORM retorna com o seu álbum mais ousado e iconoclasta, lançado em cópias limitadas por um dos selos mais importantes da música extrema da América Latina, a Terceiro Mundo Chaos Discos, que já havia lançado duas outras obras do Ciberpajé, o CD "Lúcifer Transgênico" do POSTHUMAN TANTRA, e o EP "Vulvaláxia", parceria do projeto musical CIBERPAJÉ com o S.M.E.S., projeto musical do grande Erwin De Groot, vocalista da lenária banda "LAST DAYS OF HUMANITY". Erwin inclusive faz participação especial no novo álbum do POSTHUMAN WORM, "CybOrgasmOrgy", contribuindo com suas vozes nas músicas "Mechanical Blade Dildo Ignition" e "Hymen Reconstructor Nanobots".

"CybOrgasmOrgy" apresenta 23 músicas inéditas e ainda traz 3 remixes como bonus tracks para faixas icônicas de seus primeiros lançamentos: "Sex Bot Mantra", "Sexual Initiation with a Multifunctional Robot" e "Biomechanical Jackal". O CD pode ser ouvido na íntegra no Bandcamp da "Terceiro Mundo Chaos Discos", NESTE LINK. A versão limitada em CD-R-pro pode ser adquirida NEST LINK.

Segue o texto traduzido do encarte de "CybOrgasmOrgy" no qual o Ciberpajé explica os conceitos que engendraram a obra sonora: 

Os aspectos visuais e sonoros do Posthuman Worm estão inseridos no contexto de meu universo ficcional da “Aurora Pós-humana”, nele a evolução hipertecnológica e da consciência possibilitará gradativamente a migração psicossexual dos desejos da atual era Freudiana - estruturada sobre traumas, tabus sexuais, e desejos reprimidos -, avançar para uma era Junguiana – na qual as criaturas terão acesso irrestrito ao inconsciente das espécies -, e finalmente mergulhar em uma era Grofiana (Stanislav Grof), caracterizada pela penetração no inconsciente universal. Mas nos estágios iniciais de aceleração tecnológica a sexualidade em transformação produzirá novas perversões e múltiplas insanidades como robô-copulações doentias, a criação de andróides escravos sexuais e a degeneração de alguns humanos que vibram só nas baixas frequências. Mas ao longo das décadas seguintes a liberação sexual pós-humana terá resultados positivos, pois libertará a humanidade do estigma Freudiano. No contexto da “Aurora Pós-humana” a sexualidade das criaturas é a mais variada e iconoclasta. Imagine que existem os mais diversos humanimais, como híbridos de mulher e golfinho, homem e cavalo, e todos podem ser hermafroditas e transgêneros, possuindo múltiplos órgãos sexuais masculinos e femininos. Você pode colocar um pênis de asno em sua testa e sua parceira ou parceiro uma vagina de baleia entre os olhos. A biogenética está tão avançada que consegue produzir essas aberrações e irrigá-las, além de gerar novas conexões neuronais múltiplas, ampliando a região cerebral responsável pelo orgasmo. Os tabus e taras sexuais podem ser quebrados e vividos livremente. No contexto de minha ficção científica essa total liberação sexual – conseguida pela produção de biobots transgênicos - propõe que as amarras sexuais nunca foram um problema real, toda a moral era simplesmente um bloqueio ancestral baseado em dogmas arcaicos. Com a liberação e realização completa dos desejos sexuais reprimidos as criaturas podem finalmente concentrar seu pensamento e desejo em uma verdadeira evolução da consciência na busca da transcendência. Nesse álbum, em alguns momentos, assumo a identidade de um desses pós-humanos, Cyberlord, exorcizando taras sexuais e libertando-se para o caminho da consciência cósmica. 



segunda-feira, 20 de maio de 2024

Confira o discurso de agradecimento do Ciberpajé no "I Prêmio do Quadrinho Goiano" por sua premiação na categoria "Mestre do Quadrinho Goiano"


Confiram abaixo o vídeo que é um recorte do momento final da premiação no qual recebo o certificado do prêmio de "Mestre do Quadrinho Goiano" no "I HQGO - Prêmio do Quadrinho Goiano. O vídeo foi capturado por Lucas Matheus Dal Berto. Ao final incluímos fotos do palco com os outros dois premiados nessa primeira edição do Prêmio HQGO, Cátia Ana - premiada como Mestra do Quadrinho Goiano, e Nebuladem, premiado como Revelação do Quadrinho Goiano.


Fui contemplado com a premiação de MESTRE DO QUADRINHO GOIANO no "I Prêmio do Quadrinho Goiano", promovido pela "Associação Anápolis HQ", com apoio institucional da UEG - Anápolis. É uma emoção especial para mim receber esse prêmio que legitima minha trajetória de 16 anos no amado estado de Goiás promovendo a linguagem das histórias em quadrinhos, como artista, pesquisador e professor, incentivando a criação e investigação de HQs em minhas disciplinas pioneiras na FAV/UFG e também orientando pesquisas de TCC, iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado no PPG Arte e Cultura Visual da UFG, além de coordenar o Grupo de Pesquisa CRIA_CIBER que se propõe a pensar processos criativos de quadrinhos e narrativas transmídia e tem levado a produção artística de seus integrantes a múltiplos eventos estaduais e nacionais.


Depois de ter sido reconhecido nacionalmente com o "Troféu Angelo Agostini" de Mestre do quadrinho Nacional, agorafoi a vez de receber o reconhecimento do estado que adotei como meu, Goiás! Gratidão, aos envolvidos com a criação do prêmio pelo honrosa deferência, e aos alunos, ex-alunos e pesquisadores que têm me apoiado nessa trajetória de paixão pela arte dos quadrinhos.

O "I HQGO - I Prêmio do Quadrinho Goiano" é uma iniciativa pioneira no estado de Goiás da "Associação e Coletivo AnápolisHQ - Quadrinhos e Cultura Pop", que existe desde 2015. Em seus 9 anos de existência a AnaHQ já realizou 6 eventos estaduais dedicados às HQs e ao mundo geek, reunindo dezenas de artistas goianos e um público de milhares de pessoas. Os eventos foram 2 edições da AnápolisHQ Fest, Cosplay Fantasy, AnaGeek e Cosplay Fantasy. Em 2024 a AnaHQ reuniu todas as manifestações em um grande evento, a X Fantasy.
Segundo a AnaHQ, a criação do "I Prêmio de Quadrinhos Goiano" tem como objetivo valorizar os quadrinhistas que atuam em Goiás reconhecendo aqueles que contribuem para o crescimento desse meio. Na primeira edição o projeto premia mestre e mestra do quadrinho goiano e artista revelação. O prêmio tem o apoio institucional da UEG (Universidade Estadual de Goiás) - Campus Anápolis de Ciências Exatas e Tecnológicas Henrique Santillo.

A cerimônia de entrega do "I Prêmio de Quadrinhos Goiano" aos premiados aconteceu no evento geek "X Fantasy", no dia 19 de maio de 2024, domingo, às 19:40h, na UEG- Anápolis, Campus de Ciências Exatas e Tecnológicas Henrique Santillo.
















segunda-feira, 6 de maio de 2024

Ciberpajé ganha o "I Prêmio do Quadrinho Goiano" na categoria "Mestre do Quadrinho Goiano"

Amigos, que GRANDE ALEGRIA! Fui contemplado com a premiação de MESTRE DO QUADRINHO GOIANO no "I Prêmio do Quadrinho Goiano", promovido pela "Associação Anápolis HQ", com apoio institucional da UEG - Anápolis. É uma emoção especial para mim receber esse prêmio que legitima minha trajetória de 16 anos no amado estado de Goiás promovendo a linguagem das histórias em quadrinhos, como artista, pesquisador e professor, incentivando a criação e investigação de HQs em minhas disciplinas pioneiras na FAV/UFG e também orientando pesquisas de TCC, iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado no PPG Arte e Cultura Visual da UFG, além de coordenar o Grupo de Pesquisa CRIA_CIBER que se propõe a pensar processos criativos de quadrinhos e narrativas transmídia e tem levado a produção artística de seus integrantes a múltiplos eventos estaduais e nacionais.

Depois de ter sido reconhecido nacionalmente com o "Troféu Angelo Agostini" de Mestre do quadrinho Nacional, agora é a vez de receber o reconhecimento do estado que adotei como meu, Goiás! Gratidão! Gratidão! Gratidão, aos envolvidos com a criação do prêmio pelo honrosa deferência, e aos alunos, ex-alunos e pesquisadores que têm me apoiado nessa trajetória de paixão pela arte dos quadrinhos. Nos vemos na premiação!
O "I HQGO - I Prêmio do Quadrinho Goiano" é uma iniciativa pioneira no estado de Goiás da "Associação e Coletivo AnápolisHQ - Quadrinhos e Cultura Pop", que existe desde 2015. Em seus 9 anos de existência a AnaHQ já realizou 6 eventos estaduais dedicados às HQs e ao mundo geek, reunindo dezenas de artistas goianos e um público de milhares de pessoas. Os eventos foram 2 edições da AnápolisHQ Fest, Cosplay Fantasy, AnaGeek e Cosplay Fantasy. Em 2024 a AnaHQ reuniu todas as manifestações em um grande evento, a X Fantasy.

Segundo a AnaHQ, a criação do "I Prêmio de Quadrinhos Goiano" tem como objetivo valorizar os quadrinhistas que atuam em Goiás reconhecendo aqueles que contribuem para o crescimento desse meio. Na primeira edição o projeto premia mestre e mestra do quadrinho goiano e artista revelação. O prêmio tem o apoio institucional da UEG (Universidade Estadual de Goiás) - Campus Anápolis de Ciências Exatas e Tecnológicas Henrique Santillo.

A cerimônia de entrega do "I Prêmio de Quadrinhos Goiano" aos premiados acontecerá na X Fantasy, no dia 19 de maio, domingo, às 19:40h, na UEG- Anápolis, Campus de Ciências Exatas e Tecnológicas Henrique Santillo.

quarta-feira, 20 de março de 2024

[Resenha] EP Ciberpajé: Hino ao Nada que Fui e Serei - poesia musical que enfoca a impermanência e a nossa fragilidade enquanto habitantes desse planeta, por Raquel Nunes


São apenas 12 minutos que nos instigam a diversas percepções e reflexões de como devemos conduzir a nossa vivência neste mundo. A nossa pequenez em meio a grandiosidade cósmica. A poesia musical que enfoca a impermanência e a nossa fragilidade enquanto habitantes desse planeta. Ouça o EP Ciberpajé - Hino ao nada que fui e serei neste link.

O hino é composto por uma faixa de 12 minutos dividida em 3 atos, é uma autêntica e extraordinária viagem pelo universo e sua atemporalidade. A obra de Ciberpajé com participação especial do musicista e produtor amapaense Alan Flexa, leva-nos em seu primeiro ato, intitulado como A Fotossíntese Degolada, a uma verdadeira excursão cósmica atemporal que se apresenta por meio da latente onipresença humana que se manifesta através de raios solares, brilhos lunares e toda sua amplitude universal. Um monólogo persistente, que insiste em ser resiliente mesmo quando confrontado por intempéries atemporais e ausências vitais, que colidem com uma iminente aniquilação planetária que nos reporta à resiliência e a onipresença mesmo em meio ao caos.

Continuando pelo caminho da resiliência, que se funde com a expectativa de vivenciarmos uma fotossíntese humana, chegamos ao segundo ato: O Martelo do Esquecimento. Considerado o meu preferido pela sonoridade que muito me encantou e surpreendeu do início ao fim, o referido ato nos teletransporta para uma melodia nostálgica que diante da minha modesta percepção, muito me remete ao rock progressivo nacional e internacional dos anos 70. A musicalidade desse ato lembrou-me Terreno Baldio e  Gentle Giant, duas bandas icônicas do rock progressivo nacional e internacional, respectivamente. O som revela por meio dos seus profundos versos, a extinção humana, animal e sua constante e eterna onipresença universal. A fluidez da vida. O tudo e o nada. A vulnerabilidade existencial.

Aproveitando a nossa vulnerabilidade existencial, acabamos guiados por um solo de guitarra hipnotizante que tem como destino o terceiro ato: A Morte Caudalosa. Neste ato, os acordes da guitarra e o experimentalismo surgem como adoráveis acompanhantes de uma narrativa feroz que desbrava os afetos que insistem em não se entregar mesmo conscientes da finitude vital. É a onipresença de estar e ser. O desprendimento egóico. A futilidade material e carnal diante da nossa grandiosa insignificância onde iremos todos perecer.

Um trabalho tocante e ao mesmo tempo visceral. Ouça sem moderação!


*Raquel Alves de Freitas Nunes é ativista cultural e jornalista em Goiânia.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

[Lançamento - Ouça Agora!] EP "Ciberpajé: A Blindagem do Lobo" traz nova parceria com Fredé CF propondo a MPB - Música Pós-Humanista Brasileira!


Está no ar o novo EP do Projeto Musical Ciberpajé: A Blindagem do Lobo, ouça-o aqui

A obra propõe um novo encontro dos universos ficcionais da "Aurora Pós-Humana" e da "MekHanTropia" e sela nova parceria do Ciberpajé com o musicista e artista transmídia Fredé CF, conhecido pela singularidade psicodélica de suas músicas baseadas em violão, voz e efeitos sonoros sintetizados. O EP apresenta 3 faixas que refletem sobre a hipercompetitividade contemporânea e a submissão aos valores de outrem em nome da busca por validação e aceitação, gerando a morte da autenticidade promovida por dogmas, ideologias, identitarismos, tribos, modas, etc. Também sobre a importância de manter-se íntegro e abominar todos os dogmas para obter o equilíbrio interior e por fim mostra que a amizade genuína é a forma mais pura de afeto. As faixas são: Ato I - A Blindagem do Lobo, Ato II - Mefistófeles Currando Almas e Ato III - Sobre Amizades Astrais. O conceito fundante da obra é o pós-humanismo como nova visão do humano no planeta, propondo a reconexão com seus aspectos animais e a ideia de que a nossa espécie é só mais uma das que compõem a sinergia do complexo sistema vivo chamado Gaia, pensando a tecnologia e a reconexão com a natureza como formas de busca transcendente e não com o objetivo de obter lucros e devastar a biosfera de forma indiscriminada, assim a música do EP pode ser chamada de uma Pós-MPB - Música Pós-Humanista Brasileira.

O EP também celebra o lançamento do livro "Os Aforismos do Ciberpajé" pela Editora Sinete (SP) e pode ser adquirido em pré-venda promocional neste link. Além da criação dos aforismos e da gravação das vozes o Ciberpajé (aka Edgar Franco) também criou a arte de capa e o projeto gráfico do EP. Confira o encarte na íntegra abaixo e ouça o EP neste link. 





Confira as palavras de Fredé CF sobre o processo criativo do EP que foi criado no período do Carnaval de 2024:

Durante esse Carnaval (de Ilusões MekHanTrópicas) criei as três músicas sobre seus vocais e aforismos enviados para nosso novo EP em parceria. Hoje, em meio às cinzas apocalípticas desta quarta-feira de São Valentim e pós feriado, te envio essas pós-marchinhas psicodélicas pra não tocar no Carnaval. Um Carnaval Anti-MekHanTrópico que emerge da Aurora Pós-Humana. Um bloco canídeo de folia astral contra o binarismo anticósmico. Um G.R.E.S. (Gracioso Ruído Emergente de Sonhos) para o qual busquei tocar profundamente nuances transdimensionais do meu espírito, transitando entre as luzes e as sombras alegóricas que me compõem, em contato com os conceitos trazidos pelos seus aforismos e interpretações vocais. Mestre-Sala e Porta-Bandeiras transbinários em evoluções internas integradoras pelas intersecções cosmológicas estabelecidas, num mergulho poético-reflexivo recheado de confetes e serpentinas de carbono, como reexistência artística em meio aos títeres de silício que nos cercam. O encontro de Arlequim e Colombina com o Cão Breu e o Lobo Ancestral, uivando, tocando, cantando, dançando e criando num desfile cósmico transdimensional pelas 3 RVs. Uma roda de pogo contra o Rei Momo MekHanTrópico! O rei está morto! E os loucos, os magos, os artistas e poetas tomaram conta do palácio (e da avenida)! E o samba se tornou trova! E a bossa se tornou nossa! Música Pós-Humana Brasileira (como disse o Amante da Heresia). Utilizei violão, baixo, sintetizadores e samplers. Fiz  vocais, uivos e ruídos também criando ambientações, além da mixagem em estéreo, como sempre tudo pelo celular (captação, mixagem, masterização, etc). Na primeira faixa, abre alas, trouxe algo punk e visceral, encerrando-se com uma “ponte” blindada. Na segunda faixa, pensei em algo mais sombrio e psicodélico, recheando o enredo com um toque infernal que conduz ao acesso do portal de celebração cósmica canídea do Ato final. A derradeira faixa, traz uma melodia mais alegre e festiva em celebração à vida, aos encontros e à amizade. Um ritual erigido por passos cadenciados pelos uivos retumbantes essenciais. Foi um prazer e honra enorme criar esse EP de celebração pagã transmutacional contigo, meu amigo. Muito obrigado, mais uma vez, pelo convite. Fiquei muito feliz. Me diverti bastante criando as músicas e pensando nas ambientações e conceitos. Espero que goste. Grande abraço, meu caro! (Fredé CF)

Ouça o EP Ciberpajé - A Blindagem do Lobo neste link.

Conheça os outros 44 EPs do Projeto Musical Ciberpajé neste link.