quarta-feira, 4 de março de 2015

Ciberpajé Recomenda: Veneno de Deus (arte Mozart Couto & roteiro Alexandre Grincenkov/ Editora Funalfa, 2014).

Essa obra é fruto da Lei de Incentivo à Cultura da cidade de Juiz de Fora. É realmente maravilhoso perceber que os avaliadores de projetos de leis de incentivo têm começado a compreender a importância cultural das HQs e aprovado projetos como esse. O álbum impressiona pelo volume de páginas, 188, sendo que temos mais de 170 páginas desenhadas por um dos maiores mestres do traço de todos os tempos, Mozart Couto. A arte de Couto é simplesmente delirante, o artista encontra-se em sua melhor fase, e cada página é um deleite visual, ele explora ângulos inusitados, cria desenhos marcantes de página única, impressiona com a beleza e o domínio do desenho das figuras humanas e na exuberância de seus contrastes claro-escuro. As sequências envolvendo embates entre magos e ocultistas trazem-nos a genialidade do artista, certamente um dos maiores do mundo na arte de desenhar atmosferas mágicas e de fantasia. 


(Foto do Ciberpajé)

Não me canso de admirar a expressividade, o movimento e a fluidez do desenho desse grande mestre. Alexandre Grincenkov é um roteirista estreante que teve a grande sorte de trabalhar com um gênio das HQS, mas obviamente, Couto abraçou o projeto porque identificou-se com ele. A trama criada por Alexandre é bela e comovente e explora com conhecimento de causa aspectos relativos à espiritualidade, à busca da transcendência e à importância de estarmos focados no agora. Um álbum que certamente resistirá ao tempo e que caminha na contramão da tendência idiotizante contemporânea das HQs de retratar seres niilistas urbanos e as mesquinharias e paspalhices de suas vidas mediocres. Estamos falando aqui de arte genuína! Se você gosta de quadrinhos, leia "O Veneno de Deus". O Ciberpajé recomenda!