segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Dead Meat - Massacre & Progress (CD, Independente, 2016)

Dos quentes e secos porões do underground goianiense surge essa força do thrash metal contemporâneo. Esse EP conta com cinco faixas de muita intensidade e visceralidade. O trabalho começa intrigando-nos com uma capa enigmática, de proposta bem distante dos clichês do gênero, trazendo uma fotografia manipulada de um pássaro morto e em decomposição. O CD inclui também um encarte com estética retrô que retoma os encartes dos vinis das bandas de thrash da década de 80, e o ideário D.I.Y. As letras são curtas e diretas, quase punks em sua proposta, funcionam como socos no estômago da nossa decadente humanidade pré-abissal, com destaque para a sensibilidade diante da chamada "libertação animal". A faixa título tem inspiração no livro "O coração das Trevas" de Joseph Conrad, que também inspirou Coppola em "Apocalypse Now". De cara já nos apresenta o potente thrash metal de raiz da banda com fortes influências da cena mineira oitentista. Em "Slaves of Modernity" os guturais de Gustavo (baixo e vocais) parecem surgir dos abismos recônditos da alma. Os guitarristas Guga e Paulin fazem um trabalho certeiro, tendo total consciência dos timbres clássicos do estilo e criando riffs matadores a cada nova faixa, com destaque para Tuiuti, onde a bateria de Urbano também destrói tudo. O trabalho fecha com um cover matador para "Beneath the Remais", declarando qual é uma das principais influências da Dead Meat. Tive a chance de assistir a banda ao vivo recentemente, e a performance foi avassaladora. O Ciberpajé recomenda!
(Foto do Ciberpajé)