terça-feira, 21 de novembro de 2017

[Entrevista] Ciberpajé fala sobre seu novo álbum de HQs "Oráculos" ao site Craft Authors

Na ocasião do lançamento de seu novo álbum em quadrinhos "Oráculos" (Editora Criativo), inspirado no I Ching e no Tarô, o Ciberpajé concedeu uma breve entrevista ao site "Craft Authors" confira a entrevista clicando na imagem, ou leia seu fac-símile publicado nesse post. Saiba mais e adquira o álbum nesse link.


Fac-símile da entrevista do Ciberpajé (Edgar Franco) ao site Craft Authors:

Conte-nos sobre o que encontraremos no seu álbum.
O álbum Oráculos reúne 10 HQs inspiradas em dois oráculos, I Ching e Tarô. As HQs foram criadas a partir da consulta ao oráculo em questão e da conexão com o momento que eu vivia. São 4 HQs inspiradas no I Ching e 6 inspiradas nos arcanos maiores do tarô, elas foram reunidas pela primeira vez para esse lançamento da Criativo.
 Quais são as suas principais influências (obras e autores que lhe inspiram)?
Minhas influências são formadas pelo espectro de minhas experiências imanentes e transcendentes, a vida me inspira!
 De onde surgiu a ideia e como foi o processo de criação do universo e personagens de Oráculos?
Oráculos traz quadrinhos criados por mim no contexto do gênero poético-filosófico, do qual sou um dos pioneiros no Brasil. As HQs têm completa independência, não apresentam personagens fixos nesse caso e sua conexão intrínseca está no fato de todas as HQs curtas são inspiradas em oráculos. 
Sabemos que o mercado de quadrinhos nacional é complicado, e por isso, nós autores temos que manter o equilíbrio entre o trabalho de quadrinista e outras responsabilidades. Como foi a sua rotina durante a criação de Oráculos?
As histórias em quadrinhos presentes em Oráculos foram desenvolvidas em um longo tempo, mais de 10 anos, e publicadas em revistas alternativas do Brasil e exterior, o álbum reuniu-as pela primeira vez. Sobre mercado de quadrinhos no Brasil, esse mercado não existe para o quadrinho autoral, criar para mim é um ato mágico, criar cura, não preocupo-me com mercado e nem nunca preocupei-me.

O que você acha que falta para o mercado de quadrinhos nacionais se consolidar?
Não está acontecendo o processo necessário de formação de novos leitores de quadrinhos, o público interessado em HQ está envelhecendo e os jovens cada vez mais interessam-se menos por essa linguagem. As HQS estão tornando-se uma mídia cult e elitizada, migrando para as livrarias na forma de álbuns com alto preço de capa, esse é um caminho sem volta. 
 Qual a dica que você pode dar para outros autores?
Crie com completa pureza de coração e amor pela criação, a arte é um processo alquímico de transmutação, se impregná-la de apegos e desejos não criará nada genuíno.
 Por onde os leitores podem acompanhar o seu trabalho?
Toda minha obra como artista transmídia tem como espaço de divulgação o meu blog ” A Arte do Ciberpajé Edgar Franco”: https://ciberpaje.blogspot.com.br

Ciberpajé durante o lançamento de "Oráculos" na Sketch Con II, em São Paulo.