segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

[Resenha] OS PRESÍDIOS, A BRONHA, E O CIBERPAJÉ, resenha de Denio Alves para o blog "De Pouco um Tudo..."

O músico (Essence, Merlin Box) e ativista cultural mineiro Denio Alves, acaba de postar em seu blog uma impactante resenha do EP "Ciberpajé - Cura Cósmica" e do videoclipe "Aforismo I" para o mesmo EP. A resenha crítica cria uma contextualização pungente sobre a situação de nosso país para então tratar das obras. Lei-a na íntegra no blog "De Pouco um Tudo...", ou logo abaixo nessa postagem.

------------------------


2017 já começa punk.

A primeira semana do ano é tomada de assalto por notícias estapafúrdias sobre chacinas em presídios, deputado mala querendo empurrar lei anti-masturbação no povo, e outros absurdos que só mesmo a imprensa pra aprontar assim com a nossa cabeça, arrancando o resto de dignidade que poderíamos ter pra começar o ano mais de boa.

Já não bastasse a habitual chusma de impostos e o sentimento de leseira pós-reveillon e pré-Carnaval, eles tem sempre que detonar a gente.

Eles? Eles quem?

O sistema, ora essa! Esse pessoal que vive de explorar a desgraça alheia pra fazer você crer que vive num inferno chamado Terra, sendo que basta mirarmos a natureza, olharmos credulamente para nós mesmos, e acreditarmos que SIM, existe a salvação! 

A cura está em nossa própria mente. Basta buscar.

Basta parar de acreditar n'ELES, e crer mais em NÓS.

Não é novidade nenhuma que uma hora iria rolar derramamento de sangue em presídio do Amazonas ou de Rondônia por conta da incompetência política rotineira. Demorou foi demais pra acontecer! E vai acontecer mais, porque o sistema prisional brasileiro já é todo comandado pela marginália da vida. 

Já era. Passa a régua. Reformula tudo. 

Mudem as leis, assinem uns tratados pra fora do país, e mandem essa galera forte do crime cumprir pena por lá, porque por aqui a coisa anda meio difícil. Estão dando conta não.

Agora, ver um carinha como o tal de Marcelo Aguiar querendo proibir a bronha do povão já pra lá de sofrido, é uma das maiores afrontas à individualidade e liberdade sexual do cidadão que já se viu. 

Vai caçar um projeto de gente pra defender a coletividade, deputado! Mas uma coisa boa, produtiva e de verdade mesmo! Algo pra melhorar o sistema de saúde, as creches e escolas, ou a assistência social, sei lá... 

Além de tudo, sinceramente, é um abuso um cara desses vir com essa falsa moralidade, atazanar a vida de pessoas que procuram uma variedade ou escape erótico da pressão diária (por não ganharem bem que nem safados como ele), justamente quando ele veio do meio artístico (o Sr. Marcelo Aguiar era cantor sertanejo de modinha mela-cueca, sabia? Googla ae!) - ou seja, esse cara veio de um ambiente que ESTIMULA e PRODUZ sentimentos de erotismo com suas letras e melodias, exatamente o que ele agora vem querer combater! 

Quer coibir assédios, violência sexual? É por outro caminho, deputado... ficar brincando de barrar sites em smartphone e tablet não vai resolver a coisa assim não.

Repressão pela repressão não leva a nada. Aliás, leva: a gente querendo burlar os bloqueios da repressão.

Por que não investir em instrução... educação? O nobre deputado já ouviu falar nisso?

Chegamos, afinal, ao seguinte veredito: mediante toda essa realidade canhestra do início de 2017, ver e ouvir um cara como o querido amigo EDGAR FRANCO, o colossal e tonitruante Ciberpajé, é uma lufada de ar fresco nas pretensões megalomaníacas dessa galera toda de políticos e artistas podres que povoam a mídia brazuca careta!
Que soem as trombetas para que todos saibam que Edgar lançou agorinha, no despertar desse ano, o EP "Cura Cósmica", e já vem arregaçando total com um videoclipe que está estremecendo estalactites conservadoras no YouTube: "Aforismo 1" é a visceral viagem do mago ciberexistencial pela selva tijucana, de sua idílica cidade natal (Ituiutaba-MG), em busca da mega-esquizóide conexão espiritual e telúrica com o seu pai, Dimas Franco (participação comovente e super especial no clipe e no aforismo recitado da faixa).

Imagens oníricas de devaneio e desolação hipnótica nos conduzem ao trajeto sensorial de uma alma selvagem e errante rumo às suas próprias raízes - o pajé ritualiza a sua profissão de fé de 'ser das sombras' buscando atingir a conjunção bio-sideral com o seu progenitor. 

E, em certo momento, nos parece que realmente são duas criaturas transmorfas, que se fundirão numa só!
 Em momento de severa conjuração das forças milenares...

Como ele mesmo disse, em release enviado para mim: "explora a chamada 'Reconexão Cósmica', a redescoberta de nossa essência primal animal e da necessidade de nos sentirmos como parte integrante do complexo sistema sinergético e simbiótico Gaia."

A camada sonora dos sintetizadores do Ciberpajé, em uma performance etérea, minimalisticamente atordoante e sombria, dá o tom dessa jornada aos confins da subconsciência cósmica, onde o homem-animal caótico se descobre genética regurgitada na própria reconstrução do ser, reintegrando-se à matéria original.
 O Ciberpajé e seu pai, Dimas, em instante mágico do clipe

Mais um grande salto desse lobo pós-apocalíptico nas profundezas da vanguarda dita esperta, que se espreme em showzinhos e vernissages por aí, mas vive arrotando dinheiro ao dizer nada com nada.  

Edgar Franco é imagem, som e fúria ciberorgânica e cerebral, projetada com louvor para esse e os próximos milênios, de modo a cabeçorra artística nenhuma botar defeito! Muito mais sobre a arte e filosofia de vida desse monstro da cultura contemporânea em: ciberpaje.blogspot.com/

Dá um confere ae. (Por Denio Alves para o blog "De Tudo um Pouco...").

Videoclipe "Aforismo I", EP Ciberpajé - Cura Cósmica":

---------------------